aulas

   bibliografia

   links

   

   contato

   


As Gunas

 


A Consciência É, desde sempre. Quando Ela manifesta movimento – que é quando ocorre o chamado BigBang – inicia-se a Criação, cuja natureza intrínseca é ser simultâneamente toda consciente e toda movimento - sempre impermanente, mutante.
A característica da Consciência é a permanência (natureza absoluta), ao contrário da Criação dual, que é constante modificação, (natureza relativa).
Percebendo isto, os orientais trataram de compreender e codificar este movimento universal.
Assim, os chineses, por exemplo, falam do Tao e de Yin e Yang.  
À  Consciência os hindus deram os nomes de Purusha ou Brahman (o princípio masculino), e a este eterno movimento  impermanente do Universo material, os nomes de Prakriti , Shakti ou Maya (o poder gerador - o princípio feminino).
Prakriti  manifesta três padrões de movimento universal. Estes padrões chamam-se Gunas  (ou qualidades da natureza material) e expressam a dialética da Criação :

  1. Sattwa,  é o padrão de movimento que faz com que, a partir do movimento inicial, onde começa a expansão do Universo, já exista uma força operando no sentido da volta ao estado primordial  –  a Pura Consciência. Expressa o movimento para cima e para dentro. Sattwa é a sutileza, o elemento Éter (Espaço), a harmonia, o equilíbrio, a luz, a paz, o amor. Sattwa é a tolerância, a compaixão, a não julgamento, a intuição, o desapego, a honestidade e a ética. Sattwa é a porta, o último degrau que leva à experiência do nosso estado original – a Unidade. Daí os hindus terem desenvolvido toda uma cultura e toda uma filosofia que pretendem trazer a vida para uma freqüência vibratória mais sattwica. Assim é no Yoga (nos trabalhos psico-energético-corporais), no Ayurveda (na alimentação e na medicina), no Vastu Shastra (o Feng-Shui hindu), ou seja, tornar a vida cada vez mais sattwica, mais dentro do Dharma (a virtude, a retidão). Sattwa pode ser representada pela cor amarela, dentro das três cores básicas.

    Está relacionada a Karana sharira (corpo causal) e a Anandamaya kosha (corpo de bem-aventurança) e aos três Chakras superiores.



  2. Rajas, que é a própria expressão do movimento, do karma, dos elementos Ar, Fogo e Água. Rajas é o movimento da expansão do universo, o movimento centrífugo. Rajas é a paixão, o impulso, a explosão, o calor, a força da construção, da objetividade, da determinação. É a cor vermelha. Rajas, quando desequilibrado, também é a raiva, a ansiedade, a pressa, a violência, a inveja, o ego inflado.
    Está relacionada a Sukshma sharira (o corpo sutil, psico-emocional/energético), a Pranamaya kosha (corpo de energia), Manomaya kosha (corpo psico-emocional) e Vijñanamaya kosha (corpo psico-espiritual); aos Doshas Pitta (fogo/água) e Vata (ar/éter) e aos chakras Swadhisthana (água), Manipura (fogo)  e  Anahata (ar).



  3. Tamas, representa a inércia, o movimento que estagna, a tendência de paralisar. É o movimento descendente. Representa também a densidade material, a estrutura física, o peso. É o movimento de retração do universo. Desequilibrado,Tamas é a preguiça, a avareza, o apego, a complacência, o ciúme. É o medo, a angustia, a depressão, a tristeza, a baixa auto-estima. A sombra. Fomenta a manutenção das coisas como elas estão – na ignorância de nossa natureza real (ignorância chamada pelos hindus de avidya). Tamas relaciona-se aos elementos Água e Terra e à cor azul.

    Está relacionada a Sthula sharira (o corpo denso), Annamaya kosha (corpo físico), ao dosha Kapha (água/terra) e aos chakras Swadhisthana (Água) e  Muladhara (Terra). 

Na Mitologia Hindu, Sattwa se expressa através de Vishnu, o poder que mantém e administra e relação desequilíbrio/equilibrio no Universo. Rajas se expressa no poder criador de Brahma (não confundir com Brahman, o Absoluto). E Tamas se expressa através do poder destruidor de Shiva, que destrói para que haja renovação. 
A grande alquimia interna, a grande transmutação, é utilizar o movimento e o impulso de  Rajas equilibrado, para sedar Tamas e estimular Sattwa. Normalmente o que se faz é justamente o contrário: Rajas desequilibrado estimula Tamas (que por sua vez também desequilibra Rajas) e seda Sattwa

 

Ernani Fornari
Dharmendra


 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 
asana 
 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 
asana
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
 
 

 

sobe